XXVII CBBD

Receba todas as notícias e informações

@2017 CBBD. Proudly created with Buzzsensor

Quarta - 18 de Outubro

Programa

9:00 - 10:30

Painel 4: As bibliotecas e a preservação do patrimônio cultural

Local: Auditório Jericoacoara

Documentos que nascem digitais e sua preservação

Chris Erickson

Digital Preservation Projects Manager (Salt Lake City, EUA)

Prof. Dr. Luis Fernando Sayão (UNIRIO)

Moderação: Anderson de Santana (USP)

 

10:30 - 12:00

Mesa Redonda 2: A inovação e a agenda 2030 : experiências da Red BiblioInnova – Inovação em Iberoamérica

Local: Auditório Jericoacoara

Wander Filho Pavão (Brasília, Brasil)

Carola Gomez-Rojas,(Santiago, Chile)).

Lucia Abello (Santiago,  Chile)

Mederação: Cleide Fernandes (Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Minas Gerais)

 

14:00 - 18:00

Apresentação de trabalhos livres. 

Pôsteres.

14:00 - 16:00

Painel 5: Precisamos falar sobre o “nosso Kelvin”. Advocacy urgente!

Local: Auditório Jericoacoara

A participação do Brasil na construção da  Visão Global da IFLA

Jorge Prado (FEBAB), Telma de Carvalho (APBSE/FEBAB),  Camila Burin (ACB), Sueli Mara Pinto Ferreira (FEBAB/IFLA)  e  Adriana Cybele  Ferrari (FEBAB)

Moderação: Sigrid Weiss Dutra (FEBAB)

 

16:00 - 17:30

Mesa Redonda 3: Bibliotecas Comunitárias e a Agenda 2030

Local: Auditório Jericoacoara

Todas as bibliotecas estão sendo chamadas para se reconhecerem como parcerias estratégicas para apoiar os s Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) Nesta conversa vamos conhecer o que as bibliotecas comunitárias vem fazendo para contribuir na construção de um mundo mais humano e justo..

Bel Santos Mayer (Literasampa), Profa. Dra. Lidia Eugenia Cavalcante (UFC) e Prof. Dr. Luiz Tadeu Feitosa (UFC)

Moderação: Andreia Sousa da Silva (ACB/FEBAB)

 

17:30 - 19:00

Mesa Redonda 4:  A participação das bibliotecas agrícolas e especializadas para o cumprimento dos ODS

Local: Auditório Jericoacoara

Márcia Regina M. Saad (USP), Alessandra Rodrigues da Silva (EMBRAPA)

Moderação: Thais Moraes (USP)

18:00 - 19:00

Conversando Sobre "Gênero, diversidade e sexualidade em unidades de informação: discutindo e refletindo acerca da identidade de gênero e sua relação com o acesso à informação."

Local: Mezanino 1 - Sala 1

O objetivo da discussão é fomentar o debate, ainda escasso, da diversidade e  sexualidade em unidades de informação trazendo elementos para que o/a profissional reveja algumas práticas que reproduzem preconceitos por falta de informação. Objetiva ainda dar voz àquele/as que encontraram na educação, e, por conseguinte o acesso à informação, o mecanismo para quebra de barreiras e preconceitos, reforçando o quanto a leitura influi diretamente neste processo emancipatório. A mesa também oportunizará que o/as profissionais que pesquisam e militam sob a matéria possam revelar que o campo sobre gênero, diversidade e sexualidade tem encontrado espaço, seja na academia ou na literatura, mas que ainda é necessária uma inserção maior da temática nos espaços de discussão da área.

Debatedores: Helena Vieira (Assembleia Legislativa do Ceará), Marcos Antonio Soares (UFPE), Gláucio Barreto de Lima (UFPE), Luma Nogueira de Andrade (UNILAB) e Carlos Wellington Martins (UFMA)

Conversando Sobre "Repensando o Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias à luz da Agenda 2030."

Local: Mezanino 1 - Sala 2

Reconhecida como a primeira política especificamente constituída para as bibliotecas universitárias, o Plano Nacional de Bibliotecas Universitárias (PNBU)  apresentado pela Secretaria de Ensino Superior (SESU) do Ministério da Educação (MEC) por meio da Portaria Nº 287, de 24 de abril de 1986, foi fomentado pelos bibliotecários universitários com apoio de agências de fomento e órgãos como a Biblioteca Nacional, o Conselho dos Reitores das Universidades Brasileiras (CRBU), a Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e instituições (FEBAB) e o próprio Ministério da Educação (MEC). O PNBU foi estruturado em seis grandes eixos, com doze diretrizes e suas respectivas ações. Os eixos são: 1 – Planejamento: organizacional, financeiro, de recursos humanos e físicos; 2 – Formação e desenvolvimento de coleções; 3 – Processamento técnico dos documentos; 4 – Automação de bibliotecas; 5 – Usuários e serviços; 6 – Atividades cooperativas.

Esse Conversando  tem por objetivo  discutir sobre os parâmetros de uma nova política pública para as universidades brasileiras, com intuito de promover a melhoria da performance destes organismos de cultura inseridos nas instituições de ensino superior.

Debatedores: Dr. Wellington Marçal  (Presidente da Comissão Brasileira de Bibliotecas Universitárias – FEBAB/UFMG) e Profa. Dra  Célia  Regina Simionetti Barbalho   (UFAM) e  Anália Gandini (UFMG/CBBU/FEBAB)

 

Conversando Sobre "Direitos Autorais e Agenda 2030"

Local: Mezanino 1 - Salas 3 e 4

Impactos das restrições e limitações da lei para o cumprimento dos ODS

Alinhada ao trabalho da IFLA a FEBAB tem realizado ações no sentido de sensibilizar os profissionais sobre os impactos das restrições e limitações da lei de direitos autorais. A proposta é conhecer o posicionamento do Ministério da Cultura e mostrar as ações que serão mantidas no âmbito da Comissão Brasileira de Acesso Aberto e Direitos Autorais.

Debatedores: Profa. Dra. Sueli Mara Pinto Ferreira (FEBAB/USP) e Dr. Rodolfo Tamanaha (Ministério da Cultura)

Conversando Sobre "As bibliotecas e a década Internacional de Afrodescendentes 2015-2024. Práticas, fazeres e desafios."

Local: Mezanino 1 - Salas 5 e 6

No âmbito da Ciência da Informação, principalmente na Biblioteconomia, percebemos um crescente de pesquisas e debates surgindo para discutir questões relacionadas às relações raciais, aos estudos afro brasileiros e africanos e também a Lei 10.639/03, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnicos Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro Brasileira e Africana. O bibliotecário é um profissional que deve sempre se lembrar das suas responsabilidades sociais, promovendo ações e disseminando informações relacionadas à sociedade brasileira sem qualquer tipo de discriminação. Por isso, como nós, bibliotecários, independentemente de sermos negros ou de outra etnia, devemos nos posicionar para atuar num contexto de construção de debates mais sólidos e com ações mais pontuais sobre educação das relações étnicos raciais, diversidade étnica, racismo e igualdade racial para estabelecer a implantação da lei citada (por exemplo)? Como promover as práticas, fazeres e desafios para aproximar a Biblioteconomia das informações relacionadas à história, memória e cultura africana e afro brasileira desconhecidas até então por boa parte dos bibliotecários brasileiros? Como promover práticas que possam fortalecer a promoção da igualdade racial e a luta antirracista?

Debatedores: Andreia Sousa da Silva (ACB/FEBAB), Bel Santos Mayer (Literasampa) e Vagner Amaro (Malê Editora)

 

Conversando Sobre "Os espaços “Makers”. "

Local: Mezanino 1 - Sala 7

As bibliotecas, enquanto equipamentos culturais e de aprendizagem, devem expandir suas atribuições para além do acervo. As bibliotecas não são somente depositárias do conhecimento humano, elas devem reformular a maneira como implantam seus produtos e serviços para se manterem vivas e próximas às suas comunidades. Na contemporaneidade, as pessoas são cada vez mais produtoras de conteúdo, especialmente pelo uso das mídias sociais e nesse contexto as bibliotecas inovadoras atuam como makerspaces, ou seja, espaços do fazer, do criar, da mão na massa. As bibliotecas como espaços de personalização, experimentação, colaboração e virtualização, com foco nas necessidades e interesses da sua comunidade será o tema dessa conversa.​

Debatedores: Profa. Dra. Valéria Valls.  (FESPSP – São Paulo), Cristiane Rockiki Camizão (SENAC) e João Guilherme Camargo (Escola do Inventor)

Conversando Sobre "Por que empreender e inovar na Biblioteconomia?"

Local: Mezanino 1 - Sala 8

O mundo do trabalho e as demandas do mercado apresentam novos desafios aos profissionais contemporâneos. Em nível internacional, cada vez menos surgem empregos de carteira assinada ou vagas em concursos públicos. Por outro lado, novos postos e possibilidades de trabalho nascem exigindo um perfil diferenciado, ousado, proativo, colaborativo, inovador. Os bibliotecários estão preparados para encarar esses desafios e dilemas? Quais as oportunidades de trabalho/negócios na área de gestão da informação? Quais competências precisamos desenvolver?​

Debatedores: Profa. Daniela Spudeit (Santa Catarina, Brasil UDESC), Fabíola Bezerra (Mural Interativo do Bibliotecário) e Maralyza Pinheiro (3 Corações)

 

Conversando Sobre "Sobre: Sistemas de Gerenciamento de Bibliotecas: a hora e a vez do Open Source?"

Local: Mezanino 1 - Sala 2

Cada vez mais é requerida maior integração entre os sistemas e automatização de processos. Os sistemas de biblioteca em código-aberto (Open Source) têm ganhado mais adeptos tanto para uso, quanto para desenvolvimento. O que está acontecendo no Brasil que os bibliotecários devem saber?

Debatedores: Milton Shintaku (IBICT) - Sistema "Koha", Rui Francisco (EBSCO / Plataforma "Folio") e  Anderson de Santana (FEBAB)

Visitas programadas para Universidade de Fortaleza - Unifor

Biblioteca Universitária,

Coleção Rachel de Queiroz,

Acervos Especiais (acervo de livros de arte)

Exposição do pintor Antonio Bandeira

Unifor Plástica - Exposição de pintura e escultura

Teremos condução (micro-ônibus) nos horários programados, com saídas do Centro de Eventos.

Inscrições no estande da Universidade de Fortaleza– Biblioteca. Inscrições limitadas.

 

Horários de saídas para as visitas:

11h, 11:30h, 12h e 12:30

15h, 15:30h, 16h e 16:30h

9:00 - 10:30

Conferência 3:  Bibliotecas e Democracia

Local: Auditório Jericoacoara

Peter Macleod (Canadá)

Moderação: Telma de Carvalho (APBSE/ FEBAB)

10:30 - 12:00

Mesa redonda 5:  Acesso e Oportunidade para todos: como as bibliotecas contribuem para a Agenda 2030 das Nações Unidas

Local: Auditório Jericoacoara

A contribuição das bibliotecas da área de Saúde para o cumprimento dos ODS Informação na tomada de decisão para melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Dr. Diego Gonzalez (Diretor BIREME/OPAS/OMS), Shirlei Rodrigues (Ministério da Saúde) e Maria Cláudia de Freitas Lima (Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza)

Moderadora: Verônica Abdala (BIREME/OPAS)

 

14:00 - 18:00

Apresentação de trabalhos livres. 

Pôsteres.

 

14:00 - 15:30

Mesa Redonda 6: O que avançamos na inclusão? Temos bibliotecas para todos?

Local: Auditório Jericoacoara

Gabriele Cesoroglu (Alemanha) e Cristiane Camizão Rokicki (SENAC),

Moderação: Maria Imaculada Cardoso Sampaio (UNISA)

 

15:30 - 17:00

Mesa Redonda 7: As bibliotecas escolares e a Agenda 2030

Local: Auditório Jericoacoara

Prof. Dr. Claudio Marcondes Castro Filho (Presidente da Comissão Brasileira de Bibliotecas Escolares – FEBAB) e Manuela Pargana Silva (Portugal)

Moderação: Jéssica Bedin (UFSC)

 

  

18:00 - 19:00

Cerimônia de Encerramento

Local: Auditório Jericoacoara

 
 
 
 

9:00 - 10:00

Painel 1:  Agenda 2030, a visão da IFLA e os alinhamentos no Brasil.

Local: Auditório Jericoacoara

Glòria Pérez-Salmeron (Presidenta da IFLA)

 Moderação: Adriana Cybele Ferrari (Presidente da FEBAB)

10:00

Abertura oficial da Feira e Exposição de Produtos e Serviços

10:30 - 12:00

Mesa Redonda 1: Acesso e Oportunidade para todos: Como as Bibliotecas Contribuem para a Agenda 2030 das Nações Unidas - As bibliotecas prisionais

Local: Auditório Jericoacoara

Itamar Xavier de Camargo (Presidente Prudente, Brasil)

Prof. Dr Jonathas Carvalho (Universidade Federal do Cariri UFCA)

Moderação: Catia Lindemann (Presidente da Comissão Brasileira de Bibliotecas Prisionais FEBAB)

 

14:00 - 18:00

Apresentação de trabalhos livres. 

Pôsteres.

14:00 - 15:00

Lançamento do ebook “Gestão de Unidades de Informação”

Local: Estande da FEBAB

Organizado por Daniela Spudeit (UDESC) e Marcia Kroeff (UDESC).

Obra integrante do catálogo de publicações eletrônicas da FEBAB.

 

14:00 - 15:00

Conferência 1 : Biblioteconomia  Social: vamos falar sobre isso?

Local: Auditório Jericoacoara

Júlio Jatuf   (Buenos Aires, Argentina)

Moderação: Elenise Maria de Araújo (FEBAB/USP)

 

15:00 - 16:00

Conferência 2: O Brasil e a agenda 2030

Local: Auditório Jericoacoara

Haroldo de Oliveira Machado Filho  (PNDU/ONU Brasil)

Dra. Rubia A. C. Quintão (SNAS/SEGOV)

Moderação: Sigrid Weiss Dutra (FEBAB)

16:00 - 17:00

Painel 2: O papel das bibliotecas na preservação do patrimônio cultural.

Local: Auditório Jericoacoara

A perspectiva do Comitê de Herança Cultural da IFLA e desafios para a FEBAB

Prof. Fabiano Cataldo (UNIRIO)

Moderação: Adriana Cybele Ferrari (Presidenta da FEBAB) 

 

17:00 - 17:30

Design Thinking para Bibliotecas

Local: Auditório Jericoacoara

Lançamento da tradução do “Design Thinking for Libraries” da IDEO realizada pela FEBAB em parceria com Instituto de Políticas Relacionais e Bill e Melinda Gates Foundation.

 

17:30 - 19:00

Painel 3 : Por que o indígena importa!

Local: Auditório Jericoacoara

Alinhada às discussões do Comitê da IFLA Indigenous Matters  refletir como as bibliotecas garantem justiça e equidade de acesso nos serviços que realizam às comunidades multiculturais

Tiago Hakiy (Bibliotecário e poeta. É  indígena leva as bibliotecas e a leitura para sua tribo e demais tribos indígenas do Amazonas)

Daniel Munduruku (professor, escritor).

Moderação: Sueli Marcondes Motta (SP Leituras)

 

18:00 - 19:00

Conversando Sobre "Bibliotecários sem bibliotecas."

Local: Mezanino 1 - Sala 1

Diferentes atuações para os bibliotecários. Quem disse que o bibliotecário só pode trabalhar em biblioteca? Criatividade e inovação são sempre necessárias em todas as áreas. Surpreenda-se

Debatedores: Gabriela Pedrão (É o último eu juro) e Jorge do Prado (FEBAB/SENAC)

Conversando Sobre "Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO."

Local: Mezanino 1 - Salas 3 e 4

Conhecer o  Programa Memória do Mundo da UNESCO em nível internacional, nacional e regional. Vamos discutir sobre a memória nacional brasileira presente em acervos de instituições públicas e privadas do país. Serão elencados os  acervos que receberam o Selo Unesco MoWBrasil. Discorrer sobre o processo de avaliação de candidaturas ao selo Unesco por meio dos editais MoWBrasil. Debatedores: Marcio de Souza Porto (Arquivo Público do Estado do Ceará), Diná Marques Pereira Araújo, (UFMG/membro do Comitê MoWBrasil) e Prof. Fabiano Cataldo (UNIRIO)

Conversando Sobre "Projeto Tô na Rede: mapa das ações das bibliotecas do Estado do Pará alinhadas a Agenda 2030."

Local: Mezanino 1 - Sala 7

Como as bibliotecas podem contribuir para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU colaborando assim para a Agenda 2030? Como identificar e relacionar os objetivos às práticas e serviços já oferecidos pelas bibliotecas?  Já pensou num mapa de bibliotecas públicas que relacionasse as práticas realizadas aos ODS? Nesta conversa vamos falar sobre a experiência e a metodologia utilizada no Projeto Tô na Rede - uma realização do Instituto de Políticas Relacionais em parceria com o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Pará – para a construção desse Mapa de Ações Estadual.

Debatedores: Daniela Greib (Instituto de Políticas Relacionais), Vanessa Labigalini (Instituto de Políticas Relacionais), Guilherme Relvas (Coordenador do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Pará).

Conversando Sobre Bibliotecas de Arte: desafios, perspectivas e estratégias para o futuro.

Local: Mezanino 1 - Salas 5 e 6

Existem novas propostas para as Bibliotecas de Arte?

As transformações ocorridas na sociedade impõem  uma reflexão sobre o papel das bibliotecas de arte no mundo contemporâneo. A partir de uma autocrítica dos agentes tradicionalmente responsáveis por estes espaços e do diálogo constante com o seu público/usuário real ou potencial pode-se pensar novos paradigmas, propostas e ações que visem  diversificar, dinamizar e qualificar o uso desses espaços e dos serviços por eles oferecidos.

Debatedores: Rosa Monfasani (Universidade de Buenos Aires), Cecília Bedê (Fundação Edson Queiroz) e  Cristiane Camizão Rokicki (SENAC)

Visitas programadas para Universidade de Fortaleza - Unifor

Biblioteca Universitária,

Coleção Rachel de Queiroz,

Acervos Especiais (acervo de livros de arte)

Exposição do pintor Antonio Bandeira

Unifor Plástica - Exposição de pintura e escultura

Teremos condução (micro-ônibus) nos horários programados, com saídas do Centro de Eventos.

Inscrições no estande da Universidade de Fortaleza - Biblioteca. Inscrições limitadas.

 

Horários de saídas para as visitas:

11h, 11:30h, 12h e 12:30

15h, 15:30h, 16h e 16:30h

Sexta - 20 de Outubro

9:00 - 18:00

Visitas técnicas em bibliotecas

Local: Cidade de Fortaleza

Para facilitar o acesso a Associação dos Bibliotecários do Ceará (ABCE ) preparou roteiros para conhecer as diversas tipologias  de bibliotecas existentes na cidade de Fortaleza e região.

Serão 6 (seis) rotas disponíveis,

Início da Visitação:  8h no Hotel Seara – ponto de partida e chegada

Duração: Variável dependendo do roteiro escolhido.

Disponibilidade: 40 vagas por roteiro

Como as vagas são limitadas pedimos haja comprometimento com a presença.

Informamos que quaisquer despesas de alimentação durante as visitas não serão cobertas pelo evento.

Será oferecido transporte gratuito.

A visita é exclusiva aos participantes do evento.

Escolha seu trajeto e inscreva-se! 

Programa 

Terça - 17 de Outubro
Quinta - 19 de Outubro

9:00 - 18:00

Minicursos

Local: Centro Eventos

Design thinking para Bibliotecas

Local: Mezanino 1 - Salas 3 e 4

Dinamizadoras: Adriana Souza (FESPSP), Luciana de Paula Arjona (INSPER) e Paula Macedo (EMBRAER)

Conteúdo: Com base no material produzido pela IDEO e Fundação Bill e Melinda Gates traduzido para o português pela FEBAB, serão apresentados os conceitos de Design Thinking para soluções de problemas aplicado em bibliotecas.

 

Empoderamento, cidadania e inovação em bibliotecas públicas

Local: Mezanino 1 - Sala 2

Dinamizadoras: Carola Gómez (Chile) e Lucia Abello (Chile)

Conteúdo: Socialmente as bibliotecas tem deixado de existir como espaços destinados somente aos livros. Hoje se espera que as bibliotecas sejam construtoras de capital humano e social, de conteúdos, de redes de conhecimento e que contribuam com o empoderamento da comunidade em seu esforço coletivo, entre outros. O objetivo desse minicurso é dar visibilidade e compartilhar experiências que nos permitam construir comunidades empoderadas  sempre com uma visão inovadora.

(O curso será oferecido em espanhol sem tradução simultânea)

 

Curadoria  digital de dados de pesquisa

Local: UNIFOR 3 - Sala U3 

Dinamizador: Luis Fernando Sayão (CNEN)

Conteúdo: O crescente interesse pelos dados digitais coletados, gerados e intensivamente utilizados pelas atividades de pesquisa contemporânea criou uma demanda por estruturas organizacionais, tecnológicas e por capital humano que pudessem dar conta da gestão, sustentabilidade e análise desses ativos informacionais. Entretanto, a natureza complexa e heterogênea dos dados de pesquisa demanda uma gestão diferente das aplicadas aos recursos informacionais tradicionais, como livros e periódicos.  Essa gestão dinâmica, que vai além do armazenamento seguro e da disponibilização na web, e cujos procedimentos são chamados coletivamente de curadoria de dados, adiciona valor às coleções de dados de pesquisa aumentando, dessa forma, o seu potencial de utilização atual e futuro e a probabilidade de reuso e citação por outros pesquisadores provenientes de domínios disciplinares diferentes da área onde originalmente as coleções foram criadas.

Noções de documentação jurídica

Local: Mezanino 1 - Salas 5 e 6

Dinamizadora: Célia Escobar Araújo

Conteúdo: O curso tem por objetivo apresentar as noções básicas sobre Documentação Jurídica para profissionais que estão ingressando na área. Apresenta de forma sistemática as características dos diferentes documentos e a forma de tratá-los, acompanhá-los e organizá-los.

Mediação da leitura e da informação

Local: Mezanino 1 - Sala 7

Dinamizadores: Profa. Dra. Lidia Eugenia Cavalcante(UFC) e Prof. Dr. Luiz Tadeu Feitosa (UFC)

Conteúdo: Visa trabalhar colaborativamente as possibilidades de mediação da leitura e da informação expressas no cotidiano e em diferentes contextos. Sabemos que essas possibilidades são inúmeras! Informações, linguagens, palavras ditas, ouvidas, cantadas, e modos de ser do leitor tecerão o nosso diálogo. Assim, usando a criatividade e a dialogicidade, desenvolveremos práticas de mediação cujas ambiências podem ser bibliotecas, salas de leitura, livrarias, espaços culturais, praças etc.

Avaliação do impacto e do valor das bibliotecas do Ensino Superior recorrendo à  Norma Internacional ISO16439

Local: Mezanino 1 - Sala 1

Dinamizadora: Profa.  Luiza Baptista Melo (Portugal)

Conteúdo: Os bibliotecários e gestores de bibliotecas académicas questionam-se sobre o risco crescente de que muito do que realmente se realiza nas bibliotecas pode ser invisível no meio eletrónico. Este paradigma pode deixar as bibliotecas especialmente vulneráveis quando as instituições têm de tomar difíceis decisões financeiras, como cortes destinados aos departamentos ou áreas de atividade específicas. No entanto, a voz do usuário de apoio aos serviços das bibliotecas pode ser particularmente poderosa.

Nas atuais circunstâncias, é particularmente importante que as bibliotecas sejam capazes de mostrar que funcionam de forma eficiente, mas também que fornecem serviços que estão ligados ao sucesso das metas institucionais. O retorno sobre o investimento é importante. As bibliotecas necessitam ser pró-ativas, no sentido de entenderem o comportamento do usuário e melhorarem os fluxos de trabalho; no rigor da análise e demonstrarem o valor das suas atividades para melhorar as competências dos usuários, no apoio ao ensino, à aprendizagem e à investigação. Neste minicurso pretende-se divulgar ferramentas de avaliação do valor e do impacto das bibliotecas do ensino superior nas comunidades académica e científica, tais como: as normas internacionais ISO16439:2014 (E) – Information and documentation – Methods and procedures for assessing the impact of libraries;  os métodos mistos de avaliação (qualitativos e quantitativos). Estas ferramentas, úteis para avaliar o valor e o impacto das bibliotecas, são essenciais para os stakeholders (chefias de topo, chefias intermédias, funcionários, usuários, não usuários, fornecedores) percecionarem os benefícios e perspetivar os melhoramentos dos recursos, procedimentos e atividades das bibliotecas. Em tempos de grave crise económica e constrangimento de orçamentos estes métodos podem ainda fornecer dados úteis para realização da Library Advocacy. Negociar e defender os serviços demonstrando o seu impacto e valor aos  governos e à sociedade.

Fala, Bibliotecária: Como produzir conteúdo digital?

Local: Mezanino 1 - Sala 8

Dinamizadora: Gabriela Pedrão

Conteúdo: Biblioteca escolar, pública e universitária também cabem nas redes sociais? SIM!  As redes sociais são ferramentas de longo alcance, baixo custo e de acesso fácil e rápido. Então por que os bibliotecários ainda a utilizam tão pouco ao seu favor?  Esse mini curso  abordará de forma simples e prática as possibilidades de produção de conteúdo digital para bibliotecários. Vamos conversar sobre produção de vídeo, roteiros, dicas de gravação e edição, sobre fotografia, divulgação de serviços e qual a melhor maneira de compartilhar todos esses conteúdos.

 

Gestão por Processo e Gestão de Projetos em Bibliotecas e Unidades de Informação

Local: UNIFOR 1 - Sala U1

Dinamizadora: Andréa Remião e Elizete Sá

Conteúdo: A Unidade de Informação de qualquer porte necessita de competências na área de gestão como planejamento estratégico, gestão de projetos, gestão por processo, gestão de mudança, entre outros visando funcionar cada vez melhor buscando a excelência e agregando valor à organização da qual faz parte.

A abordagem de gestão por processo permite identificar, desenhar, executar, documentar, medir, monitorar e controlar o conjunto de atividades da unidade de informação de forma a alcançar resultados consistentes.

A gestão de projetos é a aplicação de conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas a fim de atender aos requisitos do projeto - esforço temporário para obter um resultado exclusivo.  

O objetivo desse minicurso é apresentar fundamentos e práticas da Gestão de Projetos e Gestão por Processos e a aplicação das duas abordagens em Unidades de Informação.

19:30

 

Solenidade de Abertura

Horário: 19:30 horas

Espetáculo cultural “Rachel de Queiróz Convida”

Local: Cine Teatro São Luiz

Rua Major Facundo, 500 – Centro

ROTA 1: Bibliotecas Comunitárias

Saída: 8h - Hotel Seara    

9h - 1ª Biblioteca Comunitária Jardim Literário

Rua Eretides de Alencar, 302, Jardim Iracema

 

11h - 2ª Biblioteca Comunitária do Conjunto Ceará

 Av. B, S/N, Conjunto Ceará 1ª Etapa

 

Retorno: 13h30 Hotel Seara

ROTA 2: Bibliotecas Universitária, Escolar, Especializada e Comunitária

Saída: 8h - Hotel Seara    

8h40 - 1ª Biblioteca da Universidade de Fortaleza UNIFOR- Acervos Especiais

Endereço: Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz, Prédio da Reitoria - 1º andar

 

10h40 - 2ª Biblioteca da Universidade de Fortaleza UNIFOR -

 Av. Washington Soares, 1321, Edson Queiroz –

 

11h30 - 3ª Biblioteca Profª Hildete de Sá Cavalcante – Colégio Ari de Sá

Av. Washington Soares, 3737, Edson Queiroz 

 

12h40 – Almoço e visita à Casa José de Alencar (Museu onde se encontra a Casa do Escritor Cearense de mesmo Nome)

 

14h - 4ª Biblioteca Comunitária da Casa José de Alencar: Guarani

Av. Washington Soares, 6055, Alagadiço Novo

 

15h – Saída da casa José de Alencar

 

Retorno: 16h –Hotel Seara

ROTA 3: Bibliotecas Pública, Universitária e Especializada

Saída: 8h - Hotel Seara    

8h40 - 1ª Biblioteca da Procuradoria Regional do Trabalho da 7ª Região

Av. Almirante Barroso, 466, Praia de Iracema -

 

10h - 2ª Biblioteca Seminário da Prainha

Seminário da Prainha / Faculdade Católica de Fortaleza

 Rua Tenente Benévolo, 201, Centro 

 

11h - 3ª Biblioteca de Artes Visuais Leonilson

Centro Cultural Dragão do Mar

Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema

 

11h50 – Almoço e visita ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

 

14h - 4ª Biblioteca Pública do Estado do Ceará – Espaço Estação

Endereço: Rua 24 de maio, 60, Centro

 

15h30 - 5ª Biblioteca de Ciências Humanas (BDH)  

Universidade Federal do Ceará

Av. da Universidade, 2683 - Bloco 4, Benfica

 

16h30 - 6ª Biblioteca Pública Municipal Dolor Barreira

Endereço: Av. da Universidade, 2572, Benfica 

 

Retorno: 17h40 -  Hotel Seara

ROTA 4: Bibliotecas Escolar, Infantil e Especializada.

Saída: 8h -  Hotel Seara    

8h40 - 1ª Biblioteca do Colégio Farias Brito

Rua 8 de Setembro, 1330, Aldeota

10h30 - 2ª Biblioteca Aderbal Nunes Freire do TRT da 7ª Região

AV. Santos Dumont, 3384 - Anexo II - Térreo – Aldeota

 

12h – Chegada no Hotel Seara

 

14h – Saída do Hotel Seara

 

14h40 - 3ª Biblioteca do Colégio Christus

Endereço: Rua Israel Bezerra, 630 - Dionísio Torres

 

16h - 4ª Biblioteca da Procuradoria da República no Ceará

 R. João Brígido, 1260 - Joaquim Távora

 

Retorno: 18h -Hotel Seara

ROTA 5:  Bibliotecas Pública e Universitária.

Inclui visita cultural e visita ao Corredor Cultural de Maranguape (Cidade do Humorista Chico Anysio) Área Metropolitana de Fortaleza, distante 35km.

Saída:  8h - Hotel Seara   

9h30 - 1ª Biblioteca Pública Capistrano de Abreu  

Endereço: Rua Major Agostinho, 490, Centro, Maranguape-CE

10h30 – Visita e Almoço no corredor cultural da Cidade de Maranguape

13h30 – Saída de Maranguape - via Fortaleza

 

14h30 – 2ª Biblioteca Central Prof. Antônio Martins Filho

Universidade Estadual do Ceará - Campus do Itaperi   

Endereço: Av. Doutor Silas Munguba, 1700 - Campus do Itaperi –

Retorno: 16h - Hotel Seara

ROTA 6: Biblioteca Universitária

Inclui  visita ao Museu da Escravatura de Redenção (Primeira cidade a libertar seus escravos)  Área Metropolitana de Fortaleza, distante 76km.

Saída:  8h - Hotel Seara

Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNIBAB)

9h40 - 1ª Biblioteca Acadêmica Unidade dos Palmares  

Sistema de Bibliotecas da Unilab (SIBIUNI)

Endereço: Rodovia CE 060 – Km 51 – Acarape-CE

 

11h30 - 2ª Biblioteca Universitária da UNILAB

Sistema de Bibliotecas da Unilab (SIBIUNI)

Endereço: Av. da Abolição, n. 03, Redenção-CE 

 

12h30 - Almoço e visita ao Museu Senzala Negro Liberto de Redenção, primeira cidade do Brasil a libertar os escravos.

14h30 – Saída de Redenção

Retorno: 16h30 -Hotel Seara

  • email_button-hi
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon